Search billions of records on Ancestry.com
   

FORÇA AÉREA BRASILEIRA
F-5EM/FM Tiger BR Modernizado

f5m_big.jpg (163451 bytes)

O programa de modernização dos aviões F-5 Tiger II da FAB está em pleno andamento e visa modernizar e padronizar toda a frota, transformando essas aeronaves em poderosos caças com tecnologia de 4a geração que irão equipará-lo e, em muitos sentidos, superar os mais avançados aviões de combate, atualmente em operação nos principais países do mundo.

Os caças F-5E/F da FAB chegam a quase 60, distribuídos em duas bases aéreas, Santa Cruz, RJ e Canoas, RS. Eles foram comprados em 3 lotes, o primeiro em 1975, quando a FAB adquiriu novos 36 F-5E e 6 F-5B. No segundo lote foram adquiridos 22 F-5E e 4 F-5F usados provenientes dos esquadrões de treinamento "agressors" da USAF. O terceiro lote foi adquirido recentemente, em fevereiro de 2006 da Arabia Saudita, num total de 9 caças, sendo 6 monoplace (F-5E) e 3 biplace (F-5F). Atualmente os F-5 do primeiro lote estão baseados em Santa Cruz, RJ e, os do segundo lote em Canoas, RS. Os F-5B foram desativados em 1996 e estocados no PAMA-SP. Durante todo esse tempo foram perdidos em acidentes cerca de 12 F-5E, 1 F-5F e 1 F-5B, restando, portanto, 54 F-5E e 6 F-5F em operação na FAB.

Os trabalhos de modernização estão sendo realizados pela Embraer em sua unidade de Gavião Peixoto, interior do estado de São Paulo. Além da Embraer e da israelence Elbit, o programa F-5BR conta com a participação das empresas Honeywell americana (plataforma inercial de navegação), da italiana Galileu (radar de ataque) e da Elisra, também de Israel (radar de cauda).

Segundo a FAB, a modernização em curso é compatível com as aeronaves A-29 Super Tucano e, futuramente, com o programa de modernização dos caças A-1 AMX. Com a padronização, os custos de manutenção serão muito reduzidos. Estão sendo instalados um novo pacote de aviônicos, sistema de navegação, novos assentos ejetáveis, gerador de oxigênio a bordo, sistemas de autodefesa e radar multimodo. Com isso, os F5 da FAB terão uma sobrevida entre 15-20 anos, prazo necessário à escolha das novas aeronaves de 5a geração que deverão ser futuramente adquiridas pela FAB.

Empregando tecnologia de 4a geração e equipada com telas digitais, a cabine do novo F-5BR proporciona baixo esforço para o piloto e foi projetada para todas as condições de tempo, dia e noite, encontradas em todos os teatros de operação. A configuração permite o controle total dos sistemas através de comandos instalados no manche e na manete de potência (HOTAS). Dois computadores de alto desempenho e um sistema integrado de navegação INS/GPS também foram incluídos. Três telas multifuncionais em cores e um visor tipo HUD (que projeta informações à frente do piloto) levam ao F-5BR o que de melhor existe em interface homem-máquina. Todos os sistemas de visualização e iluminação do F-5BR foram projetados para o uso com óculos de visão noturna.

tigerbr-cabine.jpg (34931 bytes)
cabine do F-5EM


O F-5BR também incorpora sistema de visor de mira no capacete, tipo DASH, enlace de dados, sistema de planejamento de missão e capacidade para treinamento virtual em vôo. A aeronave está qualificada com o armamento padrão já existente na  FAB, como os mísseis ar-ar de curto alcance MAA-1 Piranha brasileiro e o israelense Phyton 3, bem como bombas e casulos externos. Também estão disponíveis os sistemas de armamento (convencional e inteligente) usados nos caças de nova geração, incluindo a capacidade de utilizar mísseis BRV (Além de Alcance Visual) e bombas guiadas a laser.

Principais recursos incorporados no programa de modernização dos F-5BR:

- Substiuição dos mostradores analógicos por telas coloridas de cristal líquido de múltiplas funções
   (MFCD - conceito glass cockpit).
- tecnologia HOTAS (Hands On Throttle And Stick) em que todos os principais comandos estão posicionados
   no manche e na manete de potência.
- HUD (Head-Up Display) visor ao nível dos olhos para que o piloto possa verificar todas as principais
   informações do painel sem ter de desviar o olhar para baixo.
- Total compatibilidade com os óculos de visão noturna NVG (Night Vision Goggles)
- Capacetes com sistema de mira HMD (Helmet-Mounted Display) tipo DASH da Elbit
- RWR (Radar Warning Receiver) da Elisra, Radar de aviso da cauda para autodefesa.
- Rádios digitais V/UHF Rohde & Schwartz
M3AR (Serie 6000), que podem receber/transmitir comunicações
  de voz e dados com proteção eletrônica, como encriptografia, salto e compressão de freqüências, assim
  permitindo a transferência de dados entre as aeronaves F-5M, os Embraer R-99 de alarme aéreo antecipada
  ou os controles de terra.
- Radar Doppler FIAR Grifo-F com diversos modos de operação ar-ar, ar-solo e anti-navio, com grande
  resistência a bloqueios e despistamentos eletrônicos ou mecânicos. Seu alcance é de 56 Km para contatos
  na mesma altitude, 37 Km para contatos voando abaixo (lock down-shoot down) e de 110-148 Km para
  alvos marítimos.
- Modernos sistemas de navegação, incluindo um sistema inercial/GPS da Rockwell modelo H-764G a laser e
  um outro GPS de backup.

O primeiro F-5M modernizado foi entregue no dia 21/setembro/2005 ao 1º/14º GAv Grupo de Aviação - "Esquadrão Pampa", da Base Aérea de Canoas, RS. O projeto prevê a entrega das demais aeronaves, numa cadência de duas aeronaves por mês.

 

Ficha Técnica

Origem: Northrop, USA
Modernização: Embraer (Elbit, Galileo, Honeywell e Elisra)
Tipo: Caça tático supersônico
Motores: 2 turbinas General Electric J85-GE-21A com 2.268 Kgf de empuxo em pós-combustão.
Velocidades: - máxima: 1.733 Km/h (Mach 1.63 a 10.975 m)
- stoll:        230 Km/h
- subida: 10.515 m/min
Teto operacional: 15.790 m
Raios de combate: - com carga máxima: 313 Km (tanque cheio e armamentos)
- com máximo de combustível: 2.338 Km
Pesos: - vazio:     4.392 Kg
- máximo: 11.192 Kg
Dimensões: - envergadura:   8,13 m
- comprimento: 14,68 m
- altura:            4,06 m
- área da asa:  17,28 m2
Armamento: - 1 canhão M-39A-2 de 20 mm com 280 tiros.
- até 3.175 kg de armamentos em 5 pontos "duros",
   (entre mísseis ar-ar/terra/mar, foguetes e bombas)
- mísseis ar-ar MAA-1 Piranha / Python 3 (ou Python 4).
- mísseis BVR (Beyond Visual Range), provavelmente
  o míssel de radar ativo israelense Derby.
- mísseis anti-radiação MAR-1.
- foguetes SBAT-70.
- bombas diversas:
     - bombas incendiárias BINC-200/300 (Napalm)
     - bombas anti-pista BAPI
     - bombas de baixo arrasto BAFG-230/920 (Mk.84)
     - bombas lança-granadas BLG-120/204/252 (Rockeye)
     - bombas com freio aerodinâmico BFA-230/460
Sensores: - Radar Doppler FIAR Grifo-F com modos de operação
  ar-ar, ar-solo e ar-mar, com grande resistência a bloqueios
  e despistamentos, eletrônicos ou mecânicos e capacidade
  de rastrear/acoplar alvos de cima para baixo (look-down)
  Alcances do Grifo-F:
         - 56 Km para contatos na mesma altitude ou acima
         - 37 Km para contatos voando abaixo (look-down)
         - 110/148 Km para alvos marítimos.
- Sistema de Alerta de Radar para autodefesa da Elisra
  (RWR - Radar Warning Receiver).
- Pod de Reconhecimento Tático Rafael Reccelite
- Pod de Navegação e Designador Laser Rafael Litening 3
- Pod de Contramedidas Eletrônicas Rafael Sky Shield
NavCom: - dois computadores de missão redundantes e parelelos.
- rádios digitais V/UHF Rohde & Schwartz
M3AR (Serie 6000)
 
com proteção eletrônica das comunicações, como salto,
  criptografia e compressão de freqüências.
- data-link que permitirá transferência de dados entre as
  aeronaves F-5M, os Embraer R-99 de alarme aéreo
  antecipada e estações de controle de terra (Cindacta).
- sistema inercial de navegação INS/GPS da Rockwell
   modelo H-764G a laser e um segundo GPS de backup.
- IFF, VOR, ILS Marker Beacom/DME.
Outros sistemas: - óculos de visão noturna NVG (Night Vision Goggles)
- HUD (Head-Up Display) visor-de-cabeça-esguida
- visor-montado-no-capacete com visor de mira
   HMD (Helmet-Mounted Display) tipo DASH da Elbit.
- manetes e manche com tecnologia HOTAS
  (Hands On Throttle And Stick)
- 3 telas coloridas de cristal líquido de múltiplas funções
  (MFCD conceito glass cockpit)
- novos sistemas de pontaria
- novos sistemas de gerenciamento de combustível
- probe para reabastecimento em vôo
- gerador autônomo de oxigênio a bordo (OBOGS)
- assento ejetável zero-zero Martin Baker Mk.10LE
- lançador ventral de chaff e flare (despistadores de mísseis)
- cabine pressurizada e com controle ambiental
- gancho traseiro para parada de emergência
Tripulação: - versão F-5EM monoplace
- versão F-5FM biplace
Operador: Brasil

última atualização em 04/agosto/2006

index

email

Copyright © 2006 - Ordem de Batalha